Cura Da Aids: Inatingível?


A população mundial já está a 7,2 bilhões(dados da ONU, junho de 2013). Nossa, muita gente! Se conseguíssemos encucar na mente das pessoas que a melhor maneira de evitar uma doença é prevenindo-a, elas viveriam mais. Sou daquela a favor da prevenção. Prevenir é melhor! Como arriscar-me a algo que sei que vou contrair e que me fará mal? Queremos viver né... e viver bem, com saúde!

Hoje 33 milhões de pessoas em todo o mundo estão contaminadas com o vírus da Aids. Bom, sabemos que no Brasil, mais de meio milhão estão, né? Então, precisamos preveni-la, pois, ela se alastra como um pequeno fogo. Inicia-se lento, aos poucos e depois não tem como apagá-lo, já tomou conta de todo lugar!

O que eu acho mais engraçado é que as pessoas estão esquecendo de uma coisa: curar algo que é inatingível torna-se impossível. Escute bem: impossível! Também estão esquecendo que se o Deus Onipotente é que controla todas as manifestações no corpo(Ele sabe muito bem como funciona, podemos ensiná-lo?Hummmm). Essa cura aí da Aids é fichinha, Ele cura no piscar dos olhos, em segundos! Ele é Poderoso! Quem somos nós para controlar algo? Não seja tão prepotente! Gostaria de deixar claro que não sou contra a cura da Aids. Inclusive, o homem conhecido como "o paciente de Berlim" foi curado. Mas, peraí, vamos falar sério né?  Uma "só" pessoa curada de 33 milhões infectados, soa-me estranho, desvantajoso. Até animo-me tal descoberta, pois, prolongará a vida dessas pessoas. Sou a favor da prevenção e sempre serei. Claro que acontece imprevistos, mas, isso é outra questão.

Recentemente, foi publicado na Superinteressante a Cura da Aids. Até aí, tudo bem né? Cientistas estão estudando bastante, queimando todos os seus neurônios para se chegar a um denominador comum. Mas, eles também sabem que o vírus HIV ainda é um mistério a ser revelado. Olha só como funciona: 

"Segundo pesquisadores ainda não foi descoberta a cura porque esse vírus HVI replica-se sempre de forma diferente e os medicamentos que inicialmente parecem travá-lo, com o passar do tempo perdem seu efeito e a carga viral do indivíduo volta a subir"

" Trata-se de um vírus com altíssima variabilidade genética, portanto é como se tentássemos atingir um alvo que se movimenta " Myrna Bonaldo - uma das pesquisadoras do assunto

Se os próprios médicos afirmam isso, qual a melhor solução? Pode chegar uma medicação que dá até certo, mas, logo perde-se sua eficácia. Então, vira um círculo vicioso e sem fim!

E, aí...vamos preveni-la? Ou vai arriscar? 

É melhor prevenir, isso te garanto..ehheheh..

No Sex Até Casar!

Até Mais!



2 comentários

Postagens mais visitadas