Minicrônica: Ser Diferente!


Durante sua vivência (onde morava) todas eram comuns aos olhos dele. 

Tinham os mesmos perfis, as mesmas palavras e os mesmos gestos de se comportar. 

Nada ali, por mais que elas tentassem, fazia com que chamasse sua atenção. 

Até porque ele era bem acostumado com tudo o que via e ouvia. Era muito habitual. 

Ao se deparar num outro lugar, ambiente, com uma outra cultura, seus olhos se abriram para um novo conhecer. 

Despertou-se!

Aquelas meninas entre eles também eram comuns. Menos para ele. 

Para ele, ela tinha um brilho a mais. 

Talvez fosse aquela coisa do "ser diferente".  Mas em que aspecto? Será que é esse ser diferente que fez com que ela o atraísse? O que ela tinha que as outras do seu convívio e até desse local não tinham?

Ele concluiu que não era a questão do local, da cultura. 

Era apenas ela que sabia ser única, independente de onde estivesse.

- Adriana Santos
Postar um comentário

Postagens mais visitadas