Minitexto: Paixão






Pequena reflexão sobre a paixão existir enquanto não é satisfeita. Após ter o objeto amado consigo, a paixão vai embora. É nesse momento que se percebe a importância do amor para sustentar a relação. 


Algumas vezes, me deixei levar pela paixão. Ela acaba por nos envolver gerando aquela sensação voraz, gostosa e súbita. Você já se apaixonou assim por alguém? É meio mágico, brilhante e insaciável. Queremos desfrutar mais e mais dela. Nunca é o bastante. E, desse modo, a paixão nos pega de jeito!

No entanto, observamos que do mesmo jeito que ela chega rápida, termina. Quando conseguimos ter a pessoa amada conosco, todo esse brilho e fogo que outrora tínhamos parece desaparecer. Passamos a enxergar atitudes que nos deixa triste, embora nada tenha mudado na pessoa.

Mas, a paixão quando se vai, nos faz enxergar o que dantes não enxergávamos pela cegueira que gera. E quanto mais a alimentamos em nosso coração, menos aspectos e atitudes damos importância no outro. Que mistério e complexidade, não? rs

"A paixão sem a razão é cega, a razão sem a paixão é inativa"
- Baruch Spinoza

Talvez, você já passou por isso e deve ter percebido como é intrigante, envolvente, louco e chega a consumir o pensamento enquanto sua chama fica acesa em nossos peitos. A tendência é nos possuir completamente. 

Nesse momento de êxtase, não nos reconhecemos. É algo tão mágico que não desejamos mais sair, nem por um momento! Quanto mais a queremos, mais ela nos escapa mantendo-nos sua refém!

O mais engraçado é que para ser apenas uma "paixonite" (aquele gosto de sempre querer mais e mais), ela nunca pode ser satisfeita. Tenho de concordar! Por essa razão, quando a paixão é satisfeita, perde-se a graça, o encanto, a motivação.

"Investe-se maior paixão para obter o que se não tem, 
do que para conservar o que já se tem" - Stendhal

E o resultado? Descarta-se! Por isso, ela dura tão pouco. Na verdade, dura o tanto quanto pode proporcionar - brevidade e dor. Pobre coitada. Gente infeliz. Miserável vida de paixões não satisfeitas. 

"Paixão é posse! Quando a tem, deixa de existir"

- Adriana Santos

" Todo mundo sabe que a paixão não satisfeita, dói. Mas poucos sabem que a paixão só existe se não for satisfeita. A paixão é um desejo de posse que, para existir, não pode se realizar. Como a fome: depois do almoço, a fome acaba....Paixão é fome. Ela só floresce na ausência do objeto amado. Mais precisamente, ela vive da ausência do objeto amado..."
- Livro: Retratos de Amor - pág. 71 e 72
- Autor: Rubem Alves
Postar um comentário

Postagens mais visitadas